Clinica de Recuperação Involuntária

Clinica de Recuperação Involuntária

Veja como funciona uma Clinica de Recuperação Involuntária.

Sobre o tratamento em uma Clinica de Recuperação Involuntária.

Diferente do tratamento voluntário, onde o paciente toma a decisão de procurar ajuda e aceita o tratamento, a internação involuntária é feita a “força”, ou seja, mesmo o paciente não aceitando.

A família solicita a internação que será feita involuntariamente com uma equipe de remoção que irá até o endereço solicitado e conterá, imobilizara (sem uso de medicação) e trará o paciente até a unidade.

A internação involuntária é solicitada ,normalmente, pelos familiares que tem alguma pessoa na qual o uso compulsivo de drogas e álcool se tornou incontrolável, e a mesma não, aceita o tratamento.

Essa pessoa perde temporariamente a condição de escolha e com isto, a família entra com o pedido de tratamento da dependência química para o usuário, buscando integrá-lo novamente à sociedade, com sua recuperação controlada, pronto para seguir uma nova vida.

Definir que a internação psiquiátrica somente deverá ocorrer após todas as tentativas de utilização das demais possibilidades terapêuticas e esgotados todos os recursos extra-hospitalares disponíveis na rede assistencial, com a menor duração temporal possível.

Estabelecer que as internações involuntárias, referidas no art. 3.º § 2º, deverão ser objeto de notificação às seguintes instâncias: I – ao Ministério Público Estadual ou do Distrito Federal e Territórios onde o evento ocorrer, II – à Comissão referida no art. 10º.

Estabelecer que a Comunicação de Internação Psiquiátrica Involuntária deverá ser feita, no prazo de 72 horas, às instâncias referidas no artigo anterior, observado o sigilo das informações, em formulário próprio (Termo de Comunicação de Internação Psiquiátrica Involuntária, modelo constante do Anexo desta Portaria), que deverá conter laudo de médico especialista pertencente ao quadro de funcionários do estabelecimento de saúde responsável pela internação.